NOTÍCIAS

10/06/2019 14:37:00

FENASSOJAF PARTICIPA DE ASSEMBLEIA DO SINTRAJUF/PE QUE DELIBEROU SOBRE ADESÃO À GREVE GERAL NA PRÓXIMA SEXTA


O vice-presidente da Fenassojaf Isaac Oliveira participou, na última quinta-feira (06), da Assembleia do Sintrajuf/PE que tratou sobre a atual conjuntura e a PEC 06/2019 - Reforma da Previdência, além do indicativo de greve geral na próxima sexta-feira (14).

Os servidores debateram diversos pontos da tramitação da reforma e os ataques à proteção social e aos servidores públicos. Um dos pontos destacados foi a dificuldade de diálogo com os servidores, devido à polarização política oriunda das eleições de 2018. “Essa dificuldade gerada pela polarização trará reflexos na mobilização para convencimento na greve geral que está programada para o dia 14”, ressalta Isaac Oliveira, que também tratou da criação e estruturação do Comitê de Prevenção e Combate ao Assédio Moral, com a finalidade de instituir uma política permanente com ações efetivas para tornar o ambiente de trabalho mais saudável. O grupo contará com mais servidores representantes de cada local de trabalho.

A Assembleia do Sintrajuf aprovou proposta de paralisação parcial na sexta-feira, com a distribuição de panfleto voltado ao diálogo e convencimento da categoria.

No final de semana, o vice-presidente integrou as conversas para estruturação da diretoria do FONAPRECAM, evento realizado na cidade de Vitória-ES, que contou com a presença de representantes de vários sindicatos, além da Fenajufe e AGEPOLJUS, para unir forças contra o assédio moral. “As demandas dos servidores públicos e dos Oficiais de Justiça, especificamente, envolvem várias pautas que devem ser acompanhadas de perto por diversos membros da nossa Federação e o assédio moral não é uma pauta que deve ser  entendida como única e exclusiva , mas específica e relevante de uma categoria que se preocupa também com a saúde e, claro, com as condições gerais para garantia, manutenção e conquistas de direitos, a exemplo da luta pela aposentadoria especial por atividade de risco, segurança e respeito à dignidade”, conclui Isaac Oliveira.

Da Fenassojaf, Caroline P. Colombo